Crônicas, Londres

O que está acontecendo com você, Inglaterra?

15/06/2017

https://steemit.com/portuguese/@marcelli/o-que-esta-acontecendo-com-voce-inglaterra

Desde que eu era criança, eu tinha a ideia de que a Inglaterra era um país onde tudo era melhor que o Brasil.

A educação, o transporte público, a economia, o sistema de segurança e até mesmo a monarquia parecia melhor que a democracia.

Então, o tempo passou e eu mudei para Londres, em 2009. Eu fiquei tão feliz, eu tinha cidadania italiana e ninguém poderia dizer que eu era ilegal. Era meu direito estar neste lugar com o qual sonhei. Lentamente, eu descobri que minha ideia da Inglaterra era certa e até mesmo, os cães eram mais educados que os no Brasil. Eles não latiam ou corriam como loucos quando viam um pombo … Que lugar!

Infelizmente, nos últimos anos, muita coisa mudou. Para mim, tudo começou com os tumultos, em 2011, quando milhares de pessoas se rebelaram em diferentes lugares em Londres após o tiroteio da polícia que matou Mark Duggan.

Naquele momento, eu escrevi sobre isso no meu blog.

http://marcelli.co.uk/pt/o-tumulto-em-londres

Muitas propriedades foram invadidas, queimadas e saqueadas. As pessoas começaram a se abastecer com alimentos e bebidas como se estivessem se preparando para uma guerra. Essa foi a primeira vez, vivendo em Londres, que eu ouvia tantas sirenes de ambulância, carros de polícia e carros de bombeiros. Constantemente, sem parar. Isso me lembrou um pouco do Brasil, quando temos problemas com traficantes de drogas ou ladrões.

As conversas com amigos nos bares eram sobre conspiração e ataque terrorista. Outros diriam que o país estava em falência.

O tempo passou e, no dia 22 de março de 2017, ocorreu um ataque terrorista em Westminster, quando Khalid Masood, de 52 anos, dirigiu um carro na calçada ferindo mais de 50 pessoas. No total, seis pessoas morreram, incluindo o terrorista.

Isso foi assustador, mas, um mês depois, no dia 22 de maio, Salman Ramadan Abedi, de 22 anos, detonou uma bomba caseira na saída do Manchester Arena, em Manchester matando 23 adultos e crianças que foram lá para o show de Ariana Grande.

Depois disso, pensei: ‘nossa, as coisas estão ficando ruins na Inglaterra’. Eu comecei a ligar para os meus pais com mais freqüência para acalmá-los: “Calma mamãe, a Inglaterra tem a Scotland Yard, nós estamos seguros.” Meu pai disse “É… nós temos pessoas se matando todos os dias aqui em São Paulo e agora parece que está acontecendo a mesma coisa na Inglaterra.” Eu tive que concordar. A quantidade de notícias sobre esfaqueados, roubos e outras tragédias que costumavam ser raras, agora era diárias nos jornais, como são no Brasil.

Em 3 de junho, ocorreu um ataque na London Bridge. Uma van subiu no pavimento atropelando os pedestres. Para piorar, três ocupantes correram para a área do Borough Market e esfaquearam pessoas. No total, oito pessoas foram mortas e 48 ficaram feridas.

Três ataques em três meses me fizeram pensar: aquela conversa sobre conspiração e ataques terroristas em 2011 foi uma previsão do futuro?

No dia seguinte ao terceiro ataque, eu fui à cidade e as ruas estavam vazias. Eu tive um déjà vu. De volta a São Paulo 2006, quando o pior incidente de violência contra as forças de segurança e civis ligados à organização criminosa do PCC. Eu estava na casa de amigos na zona sul de São Paulo e meu pai implorou-me para voltar para casa, na zona norte. Eram 10 horas e eu era um dos poucos carros nas ruas. Quando eu passei na frente do prédio da ROTA, força policial especial que evita ataques e defende áreas urbanas, um Blazer parou ao meu lado. Eu olhei para a minha direita e cinco homens da ROTA tinham suas armas em mãos. Dois estavam apontando para mim. Quando perceberam que eu era apenas uma garota comum, um deles gritou: “Vai para casa” e eu fui.


ROTA – By Naiara Albuquerque (Own work) [CC BY-SA 4.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], via Wikimedia Commons

De volta a Londres 2017, medo, amor, Brexit, eleições, estamos unidos… Todas essas mensagens surgiram em todas as mídias sociais e eu pensei: cadê aquela Inglaterra, onde tudo funciona?

Eu não tinha mais certeza, mas eu ainda tinha alguma esperança.

Infelizmente, antes de 1 da manhã de 14 de junho, um prédio residencial com 120 casas estava em chamas em Kensington, no oeste de Londres. O incêndio começou em um lado do bloco da torre e, infelizmente, as chamas tomaram conta do segundo andar até o topo.

A cena que eu vi pela televisão me fez chorar. Era tão triste, tão triste que meu coração despedaçou-se.

A causa do fogo até agora (14 de junho de 19h30) é desconhecida e, no momento, 12 pessoas morreram, 68 foram levadas para seis hospitais com 18 em uma condição crítica.

Mais uma vez, algumas pessoas falam sobre conspiração, mas é tão triste ver quem trabalhou suas vidas para comprar um apartamento e perder tudo, assim como acontece no Brasil…

O que está acontecendo com você, Inglaterra?

Com amor e respeito aos que perderam seus parentes e amigos em qualquer incidente brutal, Marcelli D’Andrea 

165 total views, 1 views today

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply